• Não é burrice, é cansaço


    Desde de que uma criança nasce até...bom, até ao fim dos nossos dias, as mães têm várias fases de privação de sono. Inicialmente porque o bebé come de três em três horas, depois porque o bebé tem cólicas, mais tarde porque lhe nascem os dentes, muitas vezes porque está doente, um dia porque dorme fora de casa. Enfim, a falta de sono e o consequente cansaço é algo que faz tanto parte do papel de mãe quanto o ter sempre lenços de papel ou toalhetes na mala.

    E até pode haver quem diga que não, que ao fim dos primeiros anos a coisa melhora, que os seus filhos dormem a noite toda desde que nasceram, mas é simplesmente mentira. A sério, não se deixem enganar: uma mulher raramente tem uma noite de sono totalmente descansada depois de ser mãe. E começo a desconfiar que é por isso que não há muitas mulheres que consigam conciliar o cargo de maior responsabilidade do mundo, ser Mãe, com qualquer outro de elevada importância, como por exemplo ser presidente. É que a falta de sono crónica e o cansaço acumulado retira-nos o discernimento.

    Eu já tinha ouvido que as mulheres ficam mais burras depois de serem mães, que é das hormonas, que é da gravidez, que é uma lei da natureza. Mas afinal, não é nada disso: é pura e simplesmente do cansaço. Senão vejam as coisas que já dei por mim a fazer depois de ser mãe:

    • sair de casa de chinelos

    • calçar os sapatos do miúdo ao contrário

    • ir a correr fazer uma sopa para a criança esquecendo por completo que já tinha feito uma na véspera

    • por creme de corpo em vez de champô no banho do bebé (ou vice-versa - já fiz as duas)

    • ficar com "brancas" depois das 22 horas - nomeadamente esquecer-me do que ia a dizer, não conseguir dizer o nome de um objecto básico, tipo chávena, trocar os nomes a toda a gente, só para citar alguns exemplos

    • pintar as unhas com produto para não as roer, a achar que era verniz transparente, e só reparar no dia seguinte, após lavar as mãos vinte vezes e o sabor amargo nos dedos não sair.

    • sair de casa, trancar a porta (que isto da segurança é muito importante) e deixar a chave na fechadura!!! A tarde inteira!

    Eu até costumava ter uma boa memória, a sério que costumava. Sabia sempre onde estavam os mais variados artigos, lembrava-me das coisas importantes como aniversários e consultas sem precisar de marcar na agenda, nunca perdia qualquer objecto, nem sequer um chapéu-de-chuva. Agora, tenho a constante sensação de que me estou a esquecer de alguma coisa e, normalmente, estou mesmo. Quando viajo, evito ser eu a guardar os passaportes e antes de sair de qualquer lado verifico se não deixem nenhum dos miúdos para trás. Já dou por mim a fazer listas para verificar as listas. A sério, é do cansaço. Se não, que atire a primeira pedra a mãe que não tem uma história destas para contar.


    ilustração por Sofia Silva http://mademoisellesilva.blogspot.pt/

    2 comentários → Não é burrice, é cansaço

    1. então não sei como é que vais fazer, porque tens um marido igual e não é do cansaço...o melhor é eu ir de férias com vocês para guardar os passaportes

    2. ahahha, podes vir. SEMPRE!

    Enviar um comentário