• Como cheguei ao Top 100 da Amazon (em 6 difíceis passos)




    Desde que saiu a notícia da chegada do meu livro ao Top 100 da Amazon, muitos me têm perguntado como consegui tal feito. Não apenas os jornalistas que me entrevistaram na altura, mas sobretudo leitores, estudantes e pessoas que também têm coisas escritas e que gostavam de publicar.

    Pois bem, neste post vou tentar explicar como é que consegui chegar ao top da maior loja online do mundo e mostrar que se há coisa que não existe é o sucesso da noite para o dia.



    1º passo: escrever um livro

    Sim, é verdade. É preciso escrever um livro, processo esse que demora meses a fio, por vezes anos até. Mas depois de escrever, há que ler e reler, ter a capacidade de cortar aqui e rescrever ali, ter a humildade para ouvir as críticas e sugestões de terceiros a quem devemos dar o livro antes de sequer pensarmos em mostrá-lo a um editor, e por fim, se avançarmos para uma edição de autor, contratar um editor ou revisor profissional que faça mais uma leitura e garanta que o manuscrito cumpre os requisitos mínimos de qualidade. No meu caso concreto, uma vez que o livro «Os 30 - nada é como sonhámos» já tinha sido editado pela Oficina do Livro, pude passar mais rapidamente para o segundo passo.

    2º passo: traduzir

    O mercado português é bastante pequeno e, como todos sabemos, está em crise. Assim, uma das primeiras decisões que tomei foi traduzir o livro para inglês e auto-publicá-lo num mercado muito mais maduro e apetecível: o norte-americano. É um mercado bastante sofisticado, onde os ebooks já ultrapassaram a venda de livros em papel e onde os leitores não têm preconceitos em ler obras de autores independentes. Aliás, há inúmeros sites e blogs dedicados ao que eles chamam "Indie publishing". Para tal, paguei obviamente a um tradutor profissional e a um revisor, para reler a tradução e, mais uma vez, garantir um livro com qualidade.

    3º passo: auto-publicar

    Entre a plataforma da Amazon (KDP) e outras como a Lulu ou a Smashwords, auto-publicar um livro nunca foi tão fácil. O processo em si é simples e gratuito. As plataformas fornecem guias para ajudar a formatar o documento a enviar (que pode ser um simples Word) e ainda oferecem serviços ou listas de freelancers (esses sim, pagos) para ajudar na edição, paginação, ilustração da capa e até promoção da obra. Devo avisar que a capa é importantíssima - não achem que por saberem dar uns toques no Photoshop podem fazer a vossa própria capa. Se quiserem um bom contacto, apresento-vos a Sofia Silva (não, não é da minha família, é apenas uma ilustradora muito talentosa com quem trabalho há seis anos).

    4º passo: implorar por reviews

    Este é um dos passos mais importantes para dar credibilidade a um livro no mercado online, seja ou não auto-publicado. É que numa loja virtual não há posters na montra, nem vendedores a quem possamos pedir uma sugestão. A compra on-line é uma compra solitária e, por isso mesmo, o comprador procura ler alguma informação extra sobre o livro, nomeadamente, o número de estrelas atribuídas e a opinião de quem já leu. No meu caso, como lancei a versão inglesa um ano depois da portuguesa, numa primeira fase, comecei por pedir a todos os amigos e conhecidos que tinham lido Os 30 para deixarem a sua opinião sincera na Amazon. A seguir, pedi aos leitores anónimos que me escreviam a elogiar o livro e, por fim, comecei à procura de top reviewers (pessoas que, pelo elevado número de reviews que têm, são especialmente levados em conta pela comunidade online), já no mercado americano. O processo é o mesmo que qualquer editora tradicional leva a cabo quando envia as novidades para os meios de comunicação social da especialidade: enviamos um exemplar de oferta (no caso de um ebook não tem custos para o autor) e ficamos à espera que a pessoa goste e escreva uma boa review. Mas devemos ter a consciência de que podem não gostar e escrever coisas menos boas (tive um reviewer que me deu 2 estrelas e outros que só deram 3). Mas até isso é bom, porque dá aos potenciais compradores uma visão realista do livro e a prova de que as reviews que ali estão são honestas, e não "compradas" pelo autor ou feitas por perfis falsos (sim, há quem faça isso, embora a Amazon esteja sempre atenta a esse tipo de fraude). Um livro que só tem reviews de 4 e 5 estrelas é muito suspeito.

    (nota: aproveito para implorar descaradamente um review de todos os que estiverem a ler este post e tiverem uma conta na Amazon :) aqui ficam os links:




    5º passo: promover, promover, promover

    Mesmo depois de lançado o livro, mesmo depois de já termos umas dezenas de reviews, a promoção é um trabalho constante e que, no meu caso, me ocupou muitas horas ao longo de um ano e que continua a fazer parte dos meus dias. Há milhares de novos títulos a serem lançados diariamente nestas plataformas e, tal como numa livraria tradicional, não há espaço para todos na primeira página. É necessário usar publicidade tradicional, (um banner num site de livros, um Google ad, etc), mas também estar activo nas redes sociais para construir uma boa base de fãs e pôr o nosso nome ou o nome do livro a circular. Também é importante ir fazendo promoções, como oferecer o livro durante um dia ou baixar radicalmente o preço numa dada semana. Porque numa primeira fase o objectivo não é ganhar dinheiro com o livro que acabámos de publicar (acho que raramente um autor, mesmo que publicado por uma editora conceituada, ganha dinheiro com os primeiros livros), mas dar a conhecer o nosso trabalho ao maior número de pessoas possível. Se elas gostarem, encarregar-se-ão de passar a palavra e, quem sabe um dia, tornar-se-ão leitores fiéis.

    6º passo: repetir

    Depois de todo o esforço para lançar um livro não se deve parar. Há que lançar um segundo e repetir todos os passos. Porque ter mais do que um livro dá mais credibilidade ao autor e aumenta as hipóteses do seu nome aparecer nos motores de busca e nas sugestões que estas plataformas dão aos seus clientes. Além disso, quando um leitor gosta de um livro, tem tendência para procurar (e comprar) outras obras do mesmo autor.

    E pronto. Foi assim que aconteceu. Não da noite para o dia, não por sorte, mas fruto de um enorme investimento de tempo e de algum dinheiro ao longo de cerca de 14 meses. Tempo esse que eu e o meu marido, o meu agente e especialista em marketing, roubámos ao nosso filho, aos nossos amigos, aos nossos fins de semana e dias de férias. Sim, o livro é bom, sim eu até escrevo bem, mas como tanta gente já o disse e provou antes, o sucesso não depende apenas do talento. É algo que dá muito trabalho.








    7 comentários → Como cheguei ao Top 100 da Amazon (em 6 difíceis passos)

    1. Boas dicas, qualquer dia ainda publico as minhas memórias, antes que seja atacado pelo alemão.

    2. Adorei o post Filipa. E acho louvável a tua partilha. Só mostra que és uma excelente pessoa e que és boa no que fazes… e por isso não temes ensinar ;) Parabéns!

    3. Filipa, Parabéns pela iniciativa de explicar de forma transparente e desinteressada a quem não tem o "know how", mas tem a vontade de saber como as coisas acontecem. Tem de certeza a noção de que muito poucos (ou nenhuns - especialmente no mercado português), fariam o que a Falipa está a fazer com os seus leitores... Muito obrigada!

    4. Muito obrigada Filipa por partilhar a forma transparente do seu sucesso. Na realidade, tinha mais ou menos a ideia que era assim que se fazia, mas com com a sua explicação fiquei a entender muito mais.. Adoro escrever, já dei inicio a dois romances (ainda não terminados) e já publiquei uma historia infantil. Mas há sempre espaço para aprender mais e, muito especialmente, quando vem de uma autora com a sua qualidade.. obrigada mais uma vez.

    5. Obrigado pela partilha Filipa,
      Peço-lhe um esclarecimento adicional. Fiquei com curiosidade para saber, como é que se garante que o livro não seja plagiado durante todo este processo ? Envia-se antes uma cópia para a Sociedade Portuguesa de Autores, para garantir os direitos de autor ? Tem que se estar inscrito na mesma ? Se não for abuso, fico a aguardar a sua prezada resposta.
      Obrigado e um beijinho
      Paulo Pereira

    6. Olá Paulo.
      Como em qualquer outro meio é difícil evitar o plágio, mas para publicar nestas plataformas há que criar (eles podem fazer isso ou s epreferir faz o autor) um ISBN e o selo © está quer no livro, quer no ebook.
      Se a obra for plagiada o autor tem prova de como o seu é o original. Mas se se sentir mais seguro pode inscrever-se na SPA, embora aí só lhe garanta a protecção dos direitos em Portugal.

    7. Olá Filipa, muito obrigada por esta partilha. Também foi recentemente publicado um livrinho meu, mas de uma dimensão muito pequena, mas vou tirar algumas dicas para pelo menos o dar a conhecer. Sou seguir o seu blog e também pelo facebbok.

    Enviar um comentário