• 7 lições que a Selecção nos deu


    Neste Europeu de futebol 2016, Fernando Santos e os jogadores que estiveram ao seu serviço na selecção, além da maior alegria das nossas vidas, deram-nos 7 lições muito sábias. 7 lições que todos devíamos  interiorizar e utilizar nos mais variados aspectos da nossa vida, de modo a acabar de vez com algumas das características mais irritantes do nosso povo, tais como o excessivo low profile, o medo de enfrentar os mais poderosos, o confundir orgulho com arrogância e o valorizar mais a modéstia do que o génio.


    1) Não tenhas pudor em dizer que és bom. 
    A humildade é muito bonita, mas em doses moderadas. Se tens talento não tenhas vergonha de o mostrar, porque as únicas pessoas que não sabem valorizar o verdadeiro talento são aquelas que não têm nenhum para mostrar. Se és o melhor do mundo, és o melhor do mundo.

    2) Não há impossíveis nem sonhos demasiado altos. 
    Há trabalho e persistência, isso sim. E claro, a sorte também conta um bocadinho, mas no fim do dia, quem não dá o litro, quem não abdica, quem não faz o dia parecer ter mais horas, não vai chegar lá. E quem desiste à primeira contrariedade também não.

    3) A união faz mesmo a força.
    Mesmo nos trabalhos mais individuais, precisamos de uma rede que nos suporte, que nos abrace nos dias em que tudo corre mal, que nos galvanize quando tudo corre bem, que nos defenda, mesmo desafiando os poderes impostos, que nos chame a atenção quando estamos a sair dos eixos, que tape os buracos que deixamos à vista. Juntos, com coragem, com determinação, sem largar o barco, mesmo quando parece que este se vai afundar.

    4) Segue os teus instintos 
    Independentemente do que os outros pensam ou dizem de ti, faz aquilo em que acreditas. Vai sempre haver velhos do Restelo e sobretudo trolls prontos a deitar abaixo qualquer coisa que estejas a tentar construir. Não ligues, não oiças, não respondas. A melhor resposta será sempre aquilo que conquistares. E se não consquistares nada, QSFD, pelo menos tentaste.

    5) Visualiza e verbaliza o teu objectivo
     Imagina o dia em que ele se vai concretizar. Não tenhas medo de o dizer em voz alta. Lembra-te sempre das palavras do engenheiro: só vou para casa dia 11 de Julho. E assim foi.

    6) Tem orgulho nas tuas raízes. 
    Sejas branco ou preto, sejas cristão ou muçulmano, sejas do campo ou da cidade, sejas rico ou pobre, as tuas raízes são a tua razão de ser. Não as escondas para pareceres mais sofisticado, mais moderno, mais em conformidade com o que os outros esperam de ti. És aquilo que és e é isso que te faz diferente de todos os outros. E, ao contrário do que nos tentam ensinar desde tenra idade, diferente é bom.

    7) Nos momentos difíceis lembra-te que quem ri por último, ri melhor.
    É um ditado antigo, mas dos que têm mais sentido. Deixa-os dizer que és louco, deixa-os rir das tuas ambições e rejubilarem com as tuas falhas. No fim, só interessa quem ganha e até acaba por dar mais gozo ganhar contra todas as probabilidades.


    Obrigada Fernando Santos. Obrigada a todos os atletas que deixaram tudo em campo e que com isso fizerem com que até os mais críticos, até os que andaram um mês a dizer mal, tivessem andado nos últimos dois dias a bradar aos céus o seu orgulho em ser português.

    0 comentários → 7 lições que a Selecção nos deu

    Enviar um comentário