•  
    É já no final desta semana que arranca a segunda edição da Festa do Livro em Belém, uma iniciativa da Sua Excelência, o Presidente da República, consagrada à promoção dos autores de língua portuguesa.

    Segundo o comunicado de imprensa, «a Festa do Livro em Belém contará com a participação de cerca de 50 editores nacionais que brindarão os visitantes com as suas obras e a presença de alguns dos seus prestigiados autores.»

    É uma honra ser uma das autoras convidadas para este evento e lá estarei no sábado, dia 23 de Setembro, entre as 15h e as 17h com a Bertrand Editora. Apareçam para conhecer o meu novo livro, para levarem um autógrafo para casa ou simplesmente para conversarmos um bocadinho.

    Até sábado!




    Palácio Nacional de Belém
    Entrada livre
    21 a 24 de setembro (quinta-feira das 18h00 às 22h00; sexta e sábado das 11h00 às 24h00; domingo das 11h00 às 22h00)
  • O primeiro dia de aulas é um dia que nos marca para sempre. Eu, após mais de trinta anos, ainda me lembro do meu, incluindo do cheiro da sala, a madeira e lápis de cera, da cor da minha mochila, vermelha em forma de autocarro com personagens do Charlie Brown, e da mão da minha mãe. 

    Estava muito ansiosa e com enormes expectativas. Como os adultos me diziam que eu iria aprender imensas coisas novas e como tinha um irmão que já estava na quarta classe e sabia ler, escrever e fazer contas dificílimas, achava que, no final do primeiro dia, ia sair de lá muito mais sábia. Confesso que fiquei bastante desiludida, porque, afinal, no primeiro dia de aulas, a professora não ensinou nada para além do seu nome e das regras da sala. Mas, com o passar dos dias ,comecei a perceber que não ia aprender tudo de uma só vez, e ainda bem.

    Hoje, esta recordação voltou com uma nitidez estonteante ao deixar o meu filho na sua nova escola, para o seu primeiro dia. Ele andou na creche e no jardim de infância, pelo que, o aperto no coração que senti, não foi provocado pelo facto de o deixar num sítio novo com pessoas que ele nunca tinha visto. Foi por vê-lo entrar numa nova etapa, muito mais emocionante. Um mundo cheio de novidades e conhecimento, desafios e frustrações. Onde fará os amigos que ficarão para sempre no seu coração (e com sorte, alguns, no resto da sua vida), onde criará memórias únicas, que mais tarde farão o coração sorrir.
    Hoje, pela primeira vez, verti uma lágrima ao deixar o meu filho. Não por deixá-lo sozinho num local desconhecido, pois sei que será acarinhado por todos com quem se cruzar e, daqui a uns dias, já terá amigos e histórias emocionantes para partilhar, mas por saber que deixei naquele recinto o meu bebé e, logo à tarde, quando o for buscar, já será um menino.