• As palavras pelo mundo


    No outro dia, uma amiga mandou-me uma mensagem a dizer que ia levar o meu livro numa viagem até Bali. Fiquei muito feliz, claro, e respondi algo do género "já que não vou eu, vai a minha Vanessa contigo". Só então  me apercebi da dimensão destas palavras.
    As personagens que crio viajam realmente até sítios onde eu nunca irei. As personagens que crio vivem em lugares que nem sei bem onde ficam. A partir do momento em que publico as minhas histórias, elas deixam de ser minhas e passam a ser de uma outra estante, de uma outra mesa-de-cabeceira, de uma outra pessoa, com uma outra vivência, que ouve outro tipo de música e gosta de outro tipo de comidas.
    Eu, que na adolescência fiquei desolada quando percebi que não ia ter tempo nesta vida para visitar todos os lugares que gostava; eu, que sonhava viver em Nova Iorque, Rio de Janeiro ou em Paris, nem que fosse durante uma temporada; eu, que nos últimos três anos não consegui nem sequer passar a fronteira, apercebo-me, finalmente, que as minhas palavras andam soltas pelo mundo.
    É essa a magia da escrita: mesmo sem sair de Lisboa posso deixar um pouco de mim em todos os lugares para onde os meus leitores escolherem levar-me, e a partir de Lisboa posso levar os meus leitores para lugares que eles nunca tinham imaginado. Que bom!

    2 comentários → As palavras pelo mundo

    1. É mesmo!
      E o facto de nos últimos 3 anos não teres passado a fronteira não quer dizer que qualquer dia não o o faças!

    2. Comecei a ler o livro da Vanessa no Dubai, ontem li mais um pouco na Austrália e hoje acabei a leitura na Nova Zelândia! :) Deixo aqui os meus parabéns e um obrigada sentido pela inspiração!!! Também sou Vanessa M e, por isso, fiquei logo curiosa em relação à história!! ;)

    Enviar um comentário