• Desabafo pós-eleitoral


    A sério que estavam à espera que o presidente nomeasse um governo formado à má-fila, baseado num acordo que ninguém conhece, que é acordo mas ninguém se compromete para 4 anos, cujo o único objectivo é tirar do poder PSD-CDS, a qualquer custo?
    Acham que isso é que traria estabilidade? Quanto tempo duraria a fachada?
    Se o PS realmente quisesse a estabilidade para o país, tentava negociar honestamente com aqueles que ganharam as eleições e que estão mais próximos da sua posição na Europa (ou agora também já são contra a Europa?). Seriam uma oposição séria e credível, que obrigasse a coligação a recuar em tudo aquilo que realmente pode e DEVE recuar (e há muito espaço para isso, oh se há!)

    Este desabafo nada tem a ver com a minha preferência partidária, até porque não tenho nenhuma. Tanto defendo um mercado de trabalho mais liberal, como defendo a legalização do aborto ou a adopção por casais gay. Aliás, o que eu gostava mesmo era de ter um sistema eleitoral que me permitisse votar em pessoas e nas suas ideias, e não em partidos e jotinhas que vão parar ao poleiro. Mas isso seria tema para outra crónica.

    Não me incomoda a hipótese de ter um governo de esquerda. Até gostava de ver se realmente conseguiriam mais humanismo, mais justiça e mais solidariedade sem perder a competitividade e o crescimento económico sem o qual nenhum de nós quereria viver.  Adorava acordar perante um programa de governo realmente inovador, responsável e que acabasse rapidamente com coisas ultrajantes como o número de crianças que vai para a escola sem comer ou as pessoas que morrem nas listas de espera, por exemplo.

    O que me incomoda  e muito é o chico-espertismo, a sede de poder e um PS que continua a agir como se não tivesse nada a ver com o buraco em que nos enfiou durante os governos de Sócrates, como aliás se viu durante toda a campanha eleitoral Tenham paciência!

    0 comentários → Desabafo pós-eleitoral

    Enviar um comentário